hérnia

Espero que você tenha gostado do post anterior, Hérnias inguinais, tão comuns e tão desconhecidas. Confio que você gostará desse e dos próximos.

Antes de mais nada, vou definir o que é uma hérnia para que o entendimento das explanações seja mais fácil. Não se preocupe ao ler a definição abaixo pois eu a explicarei logo depois e você verá como é simples o que num primeiro momento parece impossível de ser compreendido.

Hérnia é a projeção anormal de um órgão ou tecido, total ou parcialmente, para fora de sua cavidade natural, através de passagem congênita ou adquirida. Se for na parede abdominal, esse defeito pode ser em qualquer parte da parede abdominal (que são os músculos laterais e anteriores do abdome). A hérnia inguinal é a ocorrência dessa passagem na região inguinal (virilha).

 

Explicando:

Hérnia inguinal acontece quando um órgão ou tecido, mais comumente intestino ou gordura do abdome, sai do abdome por uma passagem (“buraco”) no músculo da região causando um abaulamento na pele e/ou dor local. Essa passagem pode ser de nascença ou aparecer durante a vida. Quando a pessoa já nasce com ela, são as chamadas hérnias congênitas. Talvez você já tenha visto algum menino recém-nascido que apresenta a bolsa escrotal ou a região da virilha inchada quando chora. A maior parte das hérnias inguinais que aparecem no decorrer da vida acontecem por esforço excessivo e ruptura muscular da região, são as hérnias adquiridas. O lugar por onde a hérnia passa (aquele “buraco” citado acima) é o anel herniário. Esse anel pode variar de tamanho.

cachorro muro

Para ficar mais fácil de entender: imagine que nosso amigo aí acima viu um buraco no muro e resolveu pôr a cabeça nele. A curiosidade levou-o a fazer isso, sem medir as consequências. Após colocar sua cabeça, ele pode tira-la com facilidade, com dificuldade ou não conseguir mais sair de lá sem ajuda. Depende do tamanho do buraco e da cabeça dele. O mesmo acontece no abdome se existir um anel herniário. Quando a pessoa faz algum esforço, como exercícios físicos, carregar peso, tossir, etc., acaba por haver um aumento da pressão dentro do abdome, o que empurra as estruturas internas contra o músculo e a passagem de alguma estrutura pelo anel. No caso das hérnias abdominais, o aumento da pressão funciona como a “curiosidade” do cãozinho acima. Uma causa comum de pressão abdominal elevada e por longo prazo, que pode causar hérnias inguinais ou umbilicais, é a gravidez.

Tamanho das Hérnias

Da mesma forma que a cabeça do nosso amigo, uma vez que a hérnia se exterioriza ela pode, quando a pressão diminuir, voltar com facilidade, com dificuldade ou não conseguir voltar. Depende do tamanho do anel herniário e do volume exteriorizado. Quando a hérnia reduz com facilidade, por exemplo, cessando o exercício ou deitando de costas, basta que se evite o esforço e procure um médico. Se ela não diminuir com isso, você pode apertar levemente com sua mão e tentar reduzi-la. Em caso de sucesso, vale a mesma orientação anterior. A correção cirúrgica do anel terá que ser marcada num curto espaço de tempo para se evitar novas crises.

 

Quando ela não volta, procure um pronto socorro. Existem algumas manobras e medicamentos que o médico usará para fazer a estrutura voltar para o abdome. Se conseguir, vale o mesmo já explicado. Se não, a cirurgia de urgência estará indicada, pois se a estrutura permanecer por algumas horas presa, poderá entrar em sofrimento por falta de circulação sanguínea e as consequências podem ser graves.

Não se esqueça de procurar um cirurgião geral. Ele poderá orientá-lo sobre a melhor maneira de tratar.

Saiba mais

Veremos no próximo post como o médico faz o diagnóstico da hérnia. Além disso, quais exames são pedidos para esclarecer eventuais dúvidas.

Lembre-se de compartilhar esse post. Você certamente estará ajudando outras pessoas a esclarecerem dúvidas. E caso você mesmo tenha questões a fazer, mande um e-mail para contato@silviogabor.com.br ou marque uma consulta pelo telefone (11) 3064-7088.

Um abraço amigo

Dr. Silvio Gabor

Entre em contato com o Dr. Silvio Gabor

Deixe sua mensagem!