cirurgia de diverticulite

A diverticulite é uma doença que se manifesta por bolsas e quistos pequenos e salientes da parede interna do intestino (divertículos) que ficam inflamados ou infectados. Ela pode ocasionar a perfuração espontânea do mesmo.

Um divertículo é uma pequena bolsa circular que se desenvolve na parede do cólon e tem comunicação direta com o interior do intestino. Representa uma herniação da camada mais interna de revestimento do intestino através de um ponto de fraqueza na parede do cólon.

Os divertículos podem variar em número e localização e podem acometer todo o cólon. Em caso de complicações, a cirurgia de diverticulite pode ser indicada pelo médico e o paciente será orientado a submeter-se a esse procedimento.

art.1.1

Quando a cirurgia é indicada?

Pacientes que sofrem com essa doença podem ter de se submeter à cirurgia de diverticulite. A intervenção é indicada quando a doença é persistente, mesmo adotando-se aos tratamentos de forma correta.

O médico também recomendará a intervenção cirúrgica quando os divertículos ameaçarem se romper ou já estiverem rompidos, causando peritonite (inflamação por bactéria ou fungo num tecido do abdômen).

Inflamação intensa e formação de abcessos também podem ser motivos para a cirurgia de diverticulite já que o mal pode atingir órgãos próximos ao intestino. E ainda, quando os divertículos sangram muito.

A doença requer um diagnóstico médico e o melhor especialista para essa avaliação é o coloproctologista. Esse profissional é um cirurgião especializado em tratamentos cirúrgicos e não cirúrgicos de doenças do intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus. Ele tem formação avançada em problemas do intestino, além de ter tido treinamento na especialidade da cirurgia geral.

Casos extremos

Quando o paciente não responde às medidas clínicas conservadoras ou sua condição está se deteriorando, é necessária uma intervenção cirúrgica urgente. Ela está associada comumente às complicações provenientes de um tratamento inadequado para a doença.

Já pacientes com dor e diverticulite aguda localizada, sem sinais e sintomas que sugiram comprometimento de sua condição sistêmica, podem ser tratados sem internação hospitalar.

Fique atento: sem a melhora dos sintomas, recomenda-se a internação. Persistindo dos sintomas, serão solicitados exames radiológicos, a fim de se avaliar possíveis complicações – como perfuração livre do intestino, abscessos, peritonite generalizada e fístulas. Nestes casos, a cirurgia é indicada nos abscessos localizados que não responderam a drenagem guiada por radiologia, abscessos pélvicos ou intra-abdominais, pneumoperitôneo (ar livre dentro do abdômen) e peritonite (infecção abdominal) generalizada.

cirurgia de diverticulite

Como é a cirurgia?

A técnica utilizada é a laparoscopia, um método avançado e pouco invasivo, cuja abordagem evita a necessidade de uma grande incisão abdominal. Com isso, a dor é significativamente menor. O tempo de permanência no hospital é de 2 a 4 dias e o retorno ao trabalho pode ocorrer entre 2ª e 3ª semanas.

Sintomas

Os sintomas da diverticulite são mais graves e geralmente aparecem subitamente, mas podem piorar em poucos dias. São eles:

  • Sensibilidade, geralmente na parte inferior esquerda do abdômen
  • Inchaço ou gases
  • Febre e calafrios
  • Náusea e vômito
  • Falta de fome e alimentação insuficiente
Entre em contato com o Dr. Silvio Gabor

Deixe sua mensagem!