hérnia de hiato

A hérnia de hiato, quando na condição mais severa apresentada, necessita de um procedimento cirúrgico. Ela decorre de uma condição física quando acontece o deslocamento (hérnia) do estômago para a cavidade torácica, por uma fraqueza ou lesão do músculo diafragma. Este músculo é que faz a divisão do abdômen do tórax. Neste artigo, iremos acompanhar como uma condição chamada Esôfago de Barret se relaciona com a hérnia de hiato. O assunto é muito importante, pois os dois podem estar relacionados, e o esôfago de Barret pode evoluir para um câncer.

A grande maioria das pessoas com mais de 50 anos de idade e obesas podem ter hérnia de hiato. O médico gastroenterologista é o profissional indicado para fazer a cirurgia. É importante lembrar que tudo isso é reservado aos casos mais graves: hérnias de hiato volumosas ou sintomáticas que não mudam mesmo com mudança dos hábitos de vida e tratamento clínico, ou pacientes que por alguma razão acham-se impossibilitados de dar continuidade ao tratamento clínico. Lembre-se: apesar de ser um problema relativamente comum, a hérnia de hiato sempre requer um diagnóstico médico.

A importância de um diagnóstico médico

A cirurgia de hérnia de hiato se relaciona com a condição de esôfago de Barret. Ele é uma agressão crônica às células do esôfago pelo ácido estomacal. Esta agressão faz com que as células do esôfago sofram transformações e passem a ter características de células intestinais. A essa alteração estrutural do tecido esofagiano damos o nome de esôfago de Barrett. Essas células alteradas apresentam maior risco de transformação em câncer (adenocarcinoma do esôfago). Portanto, um refluxo contínuo, levando à esofagite, é um fator de risco para câncer do esôfago.

O esôfago de Barret é uma complicação que pode ocorrer em quem tem hérnia de hiato e não a trata. Na maioria das vezes o diagnóstico da hérnia hiatal, refluxo e a esofagite são diagnosticados pela endoscopia digestiva alta.

hérnia de hiato

Como um pode afetar o outro

A maioria dos sintomas da hérnia de hiato é aliviada com tratamento e o problema costuma ser sempre resolvido sem maiores dificuldades. Se a terapia de medicamentos não resolve de imediato, a reparação cirúrgica também costuma ser bem sucedida. Cirurgia de hérnia de hiato é frequentemente combinada com cirurgia para a doença do refluxo gastroesofágico.

A laparoscopia é o procedimento cirúrgico mais comumente usado nestes casos. É uma cirurgia minimamente invasiva, realizada sob efeito de anestesia. Depois de feita a cirurgia, são necessários alguns cuidados pós-operatórios como as ingestão exclusiva de líquidos e pastosos por alguns dias, se possível em pé ou sentado e nunca deitado.

O esôfago de Barrett possui relevância clínica por ser considerado uma lesão pré-maligna, que pode evoluir para displasia e câncer de esôfago do tipo adenocarcinoma. É importante então, se atentar aos sintomas de uma hérnia de hiato, e verificar essa condição.

Agora você já sabe mais sobre o esôfago de Barret. Quer receber mais conteúdos médicos e informativos como esse? Então assine agora nossa newsletter e fique por dentro de nossas novidades.

Entre em contato com o Dr. Silvio Gabor

Deixe sua mensagem!